Senhores Pais e ou Responsáveis

Senhores Pais e ou Responsáveis

O atual momento é de aprendizagem para todos. Uma época para aprender, para enfrentar desafios da vida, sejam eles desconhecidos ou aleatórios. A situação atípica que estamos vivendo, devido à pandemia do novo coronavírus (COVID-19), está nos levando a experiências e situações que jamais foram vividas pela maioria de nós. A mais desafiadora delas talvez seja o isolamento social, uma medida que consiste, basicamente, no ato de “ficar em casa”, a fim de auxiliar no controle da disseminação do vírus, baixando a curva de contágio.

As recomendações do Ministério da Saúde foram rapidamente adotadas pelas autoridades, a partir dos exemplos mundo afora, que decidiram decretar estado de calamidade pública, além de orientar a população.  No entanto, o ato de “não sair de casa” tem sido um grande desafio para parte dos brasileiros. Muitas pessoas lidam com diferentes dificuldades e limitações, tanto financeiras quanto sociais. A rotina, que antes era previsível, de repente ficou conturbada, inclusive para crianças e adolescentes.

Este momento enfático ‘obrigou’ escolas das redes pública e privada a suspenderem aulas e atividades que geram aglomeração, deixando um grande número de alunos longe das instituições de ensino.

Além desse setor, um vasto número de empresas também teve as atividades suspensas, dispensaram seus funcionários ou permitiram que seus colaboradores trabalhassem de casa. Esses profissionais tiveram que se adaptar ao home-office e, simultaneamente, conciliar a supervisão dos filhos em casa. Novamente, este se tornou um momento de aprendizagem para todos.

Parte das instituições de ensino está adaptando seu currículo escolar com atividades não presenciais. Seguindo modelos aplicados em todo país, a Escola Interação aderiu também a esse sistema ¾ os professores terão um papel importante e de muita responsabilidade nesse processo de propiciar o conteúdo da melhor forma possível. Eles estarão disponíveis para acompanhar esse processo de aprendizagem mesmo que de forma online (seja por WhatsApp, E-mail, Youtube, vídeo chamada, entre outras ferramentas). Porém, caberá também aos pais o papel de auxiliar os estudos dos filhos dentro desse período de pandemia.

Ações simples serão capazes de fazer a diferença nos estudos do dia a dia em casa, bem como criar um ambiente organizado e propício para o aprendizado. Elencamos algumas sugestões para que seu filho enfrente esse período com leveza e planejamento:

SEGUIR UMA ROTINA: de preferência uma similar à que teria durante a escola, como acordar no horário habitual, vestir-se, alimentar-se adequadamente e focar nas atividades seguindo os conteúdos programáticos enviados pela escola;

DEFINIR LOCAL DE ESTUDO: de preferência tranquilo, no qual possa focar e manter o equilíbrio, propiciando pausas programadas, semelhantes as que eles teriam na escola;

MANTER CONTATO COM OS PROFESSORES E COLEGAS: possibilitando a troca de informações relevantes e tirando dúvidas;

FAZER USO DA TECNOLOGIA: já que outras fontes de conhecimento, como estudar por meio de filmes, vídeos, músicas e podcasts ajudam a contribuir no avanço dos conteúdos discutidos em sala de aula;

ESTUDAR COM PLANEJAMENTO: pois será mais fácil lidar com toda demanda, estabelecendo horários fixos diários e sendo persistente na rotina. Anotar na agenda ou calendário o que precisa fazer, os prazos e quais matérias exigem mais atenção.

Para muitos, estudar a distância é uma experiência nova. Então, é normal ter dificuldade para criar novas rotinas e conseguir os mesmos resultados de quando estavam frequentando a escola.

As atividades escolares enviadas pretendem amenizar a continuação do aprendizado, abrandando assim as perdas geradas pela situação em que nos encontramos. Por entender que esse momento é desafiador para todos, solicitamos aos pais e responsáveis que nos ajudem estimulando, estruturando, dialogando com os filhos durante esse período, tentando dar continuidade à vida escolar.

Os pais que possuam filhos com faixa etária diferente, a orientação é priorizar atividades que envolvam a todos, uma vez que um ensina o outro e todos aprendem juntos, independente da idade ou formação social. Um exemplo são atividades educativas, contação de histórias, músicas, teatro, jogos, bingo, leitura em grupo, roda de conversa e até cozinhar em família.

Os jogos e as brincadeiras proporcionam as crianças regras, limites, respeito e concentração, que favorecem positivamente seu desenvolvimento cognitivo, emocional e social, especialmente neste período de pleno desenvolvimento.

A maneira pela qual eles enfrentarão esse problema dependerá em grande parte da conduta e manejo dos pais. O momento que estamos vivendo nos impõe uma nova realidade, precisamos nos reinventar, remodelar e reestruturar com a finalidade de minimizar maiores perdas.

Esta é uma crise geral, porém, é fundamental termos em mente que tudo vai passar e é importante fazer essa travessia, pois quando tudo acabar seremos sobreviventes.

 

Maria de Lourdes Fernandes da Silva Lima
Psicóloga da Escola de Ensino Básico Interação

 

Vera Lucia Villas Boas
Vera Lucia Villas Boas